Arquivo do mês: abril 2014

DIA DO ÍNDIO

‘Uma peninha na mão e muitas ideias na cabeça’

 “Por causa do Dia do índio, do índio por ele mesmo e do meio ambiente, tomei a pena da autora e decidi, eu mesmo, Guga Niquim, escrever uma mensagem sobre o que se comemora no dia 19 de abril.

Para quem não me conhece, sou o personagem principal do livro infanto-juvenil que tem o meu nome, Guga Niquim – o menino-homem-onça, ’editado pela Oficina Raquel. Fui adotado por índios da tribo matis, no Amazonas, quando fugi de casa. Por causa dessa experiência incrível, quero convidar pessoas de todas as idades – crianças, jovens e adultos – a conhecer o universo indígena.

Quase todos sabemos que desde 1500 as várias tribos indígenas vêm sendo dizimadas e acuadas em áreas cada vez menores e também sofrendo toda sorte de desrespeito. Tudo isso virou banal, poucos se importam.

Mas quase nada sabemos quem são realmente os índios, como vivem, como sonham e por que permanecem índios nesse mundo globalizado.

Quem sabe se começarmos a conhecê-los melhor, nem que seja de pouco em pouco, conseguiremos mudar esse jogo – aproveitando que este ano a Copa do Mundo será no Brasil!

Vamos lá, podemos ser criativos.  Ninguém precisa viver uma experiência tão radical como a minha (para conhecer os índios de perto, tive que virar onça), mas professores e escolas podem dedicar mais atenção e energia ao tema durante todo o ano. E os pais também podem ensinar aos seus filhos sobre os povos indígenas, que também têm tanto a nos ensinar.

Pais e professores podem começar contando estórias, pesquisando tribos, lendas, florestas.  Podem incentivar as crianças a escreverem à Presidente da República e a seus ministros (imaginem o Palácio do Planalto recebendo caminhões de cartas, rsrsrs) perguntando o que o Brasil tem feito de fato para garantir justiça aos povos indígenas.  Podem conseguir filmes, podem criar indivíduos-cidadãos socialmente responsáveis.

Minha proposta como filho acolhido por esses indivíduos tão sensacionais é que 19 de abril não seja apenas uma data simbólica. Mas um dia que deve ser multiplicador da consciência coletiva sobre o respeito à dignidade do índio durante todo o ano. Meu desejo é que todos os brasileiros valorizem e comemorem constantemente a influência do índio sobre a nossa história, os nossos hábitos e a nossa cultura. Mais ainda, que tenhamos consciência do que de fato é ser brasileiro.

Se a criação de um dia especial é para homenagear, vamos dar vida, alegria e sentido ao Dia do índio.”

Guga Niquim – Personagem principal do livro ‘Guga Niquim – o menino-homem-onça’, de Marisa Oliveira, editado pela Oficina Raquel


Primavera paulista

EDITORA OFICINA RAQUEL PARTICIPA DA PRIMAVERA DOS LIVROS DE SÃO PAULO COM LANÇAMENTOS E TÍTULOS SOBRE FUTEBOL

Image

Roberta Ferraz, autora de Saturação de Saturno: abertura da Primavera de SP.

A Oficina Raquel aposta em paixões: por isso, o futebol, grande paixão nacional, e a poesia, capaz de transformar sentimentos em versos, são os dois eixos vocacionais da editora. Estamos presentes, organizando ou participando de eventos que, além de promover a leitura, dão a ler essas paixões, que encontram solo fértil nos textos de um time de grandes autores que temos a alegria de ter por perto.

A Oficina Raquel estará na Primavera dos Livros de São Paulo, na Praça Dom José Gaspar, no Centro, nos dias 10, 11 e 12 de abril. A editora, neste ano de Copa do Mundo, promove a aproximação do público da feira com títulos que falam sobre a ‘paixão nacional’ do brasileiro; aliando futebol e poesia, a abertura será feita por Roberta Ferraz (foto), autora da Oficina Raquel, que, em 2013, lançou o belo livro de poemas Saturação de Saturno.

Estarão à venda na Primavera dos Livros, promovida pela Liga Brasileira de Editores (Libre), além, é claro, das Saturações de Saturno, de Ferraz, o recém-lançado De pernas para o ar – minhas memórias com Garrincha, de Gerson Suares (autor que é enteado da cantora e viúva de Garrincha, Elza Soares); Dez campos, de Jorge Fernandes da Silveira; ’38 círculos, de Luis Maffei, e Contos da Colina – 11 ídolos do Vasco e sua imensa torcida bem feliz, de Maffei, Nei Lopes e Mauricio Murad; Pequena morte – futebol-arte, antologia poética que reúne poetas e ensaístas; Cronicaturas de futebol, de Fernando Miranda; e Olaria – a conquista da taça de bronze, de Marcelo Paes.

“A coletânea da Oficina Raquel sobre livros de futebol oferece uma leitura multidisciplinar. O leitor poderá pensar o futebol sob as suas diversas perspectivas, além de promovermos o diálogo entre o esporte e a literatura. Neste momento, estamos vivendo uma situação única, com o acontecimento da Copa do Mundo no Brasil, momento oportuno para intensificar a leitura e as discussões sobre o assunto. Hora do borbulhar de opiniões e de colocarmos nossas convicções sobre futebol à prova”, analisa Raquel Menezes, diretora da Oficina Raquel.

Os visitantes que passarem pela Primavera dos Livros encontrarão também os últimos lançamentos da Oficina Raquel: Os três desejos de Octavio C., de Pedro Eiras, O prisioneiro do mundo, de Nelson Sargento, Poética e filosofia da paisagem, de Michel Collot, em primeira tradução brasileira, Signos de Camões, de Luis Maffei e o infantil A menina que não gostava de meias, de Simone Magno, entre outras obras de destaque.

 

SERVIÇO

PRIMAVERA DOS LIVROS DE SÃO PAULO

10 a 12 de abril/2014

Praça Dom José Gaspar – Centro – São Paulo

Editora Oficina Raquel – estande 47

Realização: Liga Brasileira de Editores (Libre)

Parceria: Biblioteca Mário de Andrade e Prefeitura de São Paulo

Apoio: BNDES

Grátis!