Arquivo da categoria: Agenda

Primavera paulista

EDITORA OFICINA RAQUEL PARTICIPA DA PRIMAVERA DOS LIVROS DE SÃO PAULO COM LANÇAMENTOS E TÍTULOS SOBRE FUTEBOL

Image

Roberta Ferraz, autora de Saturação de Saturno: abertura da Primavera de SP.

A Oficina Raquel aposta em paixões: por isso, o futebol, grande paixão nacional, e a poesia, capaz de transformar sentimentos em versos, são os dois eixos vocacionais da editora. Estamos presentes, organizando ou participando de eventos que, além de promover a leitura, dão a ler essas paixões, que encontram solo fértil nos textos de um time de grandes autores que temos a alegria de ter por perto.

A Oficina Raquel estará na Primavera dos Livros de São Paulo, na Praça Dom José Gaspar, no Centro, nos dias 10, 11 e 12 de abril. A editora, neste ano de Copa do Mundo, promove a aproximação do público da feira com títulos que falam sobre a ‘paixão nacional’ do brasileiro; aliando futebol e poesia, a abertura será feita por Roberta Ferraz (foto), autora da Oficina Raquel, que, em 2013, lançou o belo livro de poemas Saturação de Saturno.

Estarão à venda na Primavera dos Livros, promovida pela Liga Brasileira de Editores (Libre), além, é claro, das Saturações de Saturno, de Ferraz, o recém-lançado De pernas para o ar – minhas memórias com Garrincha, de Gerson Suares (autor que é enteado da cantora e viúva de Garrincha, Elza Soares); Dez campos, de Jorge Fernandes da Silveira; ’38 círculos, de Luis Maffei, e Contos da Colina – 11 ídolos do Vasco e sua imensa torcida bem feliz, de Maffei, Nei Lopes e Mauricio Murad; Pequena morte – futebol-arte, antologia poética que reúne poetas e ensaístas; Cronicaturas de futebol, de Fernando Miranda; e Olaria – a conquista da taça de bronze, de Marcelo Paes.

“A coletânea da Oficina Raquel sobre livros de futebol oferece uma leitura multidisciplinar. O leitor poderá pensar o futebol sob as suas diversas perspectivas, além de promovermos o diálogo entre o esporte e a literatura. Neste momento, estamos vivendo uma situação única, com o acontecimento da Copa do Mundo no Brasil, momento oportuno para intensificar a leitura e as discussões sobre o assunto. Hora do borbulhar de opiniões e de colocarmos nossas convicções sobre futebol à prova”, analisa Raquel Menezes, diretora da Oficina Raquel.

Os visitantes que passarem pela Primavera dos Livros encontrarão também os últimos lançamentos da Oficina Raquel: Os três desejos de Octavio C., de Pedro Eiras, O prisioneiro do mundo, de Nelson Sargento, Poética e filosofia da paisagem, de Michel Collot, em primeira tradução brasileira, Signos de Camões, de Luis Maffei e o infantil A menina que não gostava de meias, de Simone Magno, entre outras obras de destaque.

 

SERVIÇO

PRIMAVERA DOS LIVROS DE SÃO PAULO

10 a 12 de abril/2014

Praça Dom José Gaspar – Centro – São Paulo

Editora Oficina Raquel – estande 47

Realização: Liga Brasileira de Editores (Libre)

Parceria: Biblioteca Mário de Andrade e Prefeitura de São Paulo

Apoio: BNDES

Grátis!

Anúncios

Coisas desencadeadas: estudos sobre a obra de Carlos de Oliveira

Coisas desencadeadas: estudos sobre a obra de Carlos de Oliveira

Será oficialmente lançado no próximo dia 26 de março, às 19 horas, na livraria Prefácio, em Botafogo, a reunião de textos sobre a obra do poeta português Carlos de Oliveira que, sob a organização e o olhar competente de Ida Alves, apresenta ao leitor a seriedade dessas “coisas desencadeadas”.
Textos escritos pelos estudiosos Benjamin Abdala Junior (USP), Ângela Beatriz de Carvalho Faria, Jorge Fernandes da Silveira, Teresa Cerdeira, Monica Figueiredo (UFRJ), Chimena Barros da Gama (UNESP), Luis Maffei, Leonardo Gandolfi, Maria Lucia Wiltshire e a própria Ida Alves (UFF), em um (des)encadeamento perfeito, são alinhavados pela genialidade pulsante na obra de Carlos de Oliveira, escritor que “sabia tocar e ouvir o silêncio”.


convite de lançamento CONTOS DA COLINA

convite de lançamento CONTOS DA COLINA


50 anos de Poesia 61, na Livraria da Travessa do CCBB

A editora Oficina Raquel e a Livraria da Travessa convidam para o lançamento de

Poesia 61 Hoje

Organização: Jorge Fernandes da Silveira e Luis Maffei

Dia 16 de dezembro, sexta-feira,
 das 18h às 21h,
 na Travessa do CCBB (Rua Primeiro de Março, 66)

É simples a matéria deste ensaio sobre os 50 anos de Poesia 61.
Lado a lado, poemas afastados no tempo formam uma dupla, à
qual se segue um texto breve, como se fosse uma legenda ao “quadro”,
ou seja, aos poemas dispostos em duas colunas.
Sublinhando a passagem dos anos nos poetas, não necessariamente
pelo traço da diferenciação, essas legendas têm por único objetivo
dar notícia dos Poetas 61 hoje.

(Jorge Fernandes da Silveira)
Gosto muito de comemoração, não tanto pela mera festa da efeméride, mas pela ideia de memória atualizada. Poesia 61 hoje é livro que comemora, pois, a partir da lembrança de que a publicação coletiva que reuniu Casimiro de Brito, Fiama Hasse Pais Brandão, Gastão Cruz, Luiza Neto Jorge e Maria Teresa Horta cumpre, neste 2011, cinquenta anos, celebramos cada uma dessas obras.
Ao celebrá-las, não voltamos apenas ao ano de 1961, mas nos dedicamos a ler cada um desses cinco poetas. Pareceu, a Jorge e a mim, interessante que fossem dois os ensaios sobre cada poeta, para que as miradas tivessem comemorativa e celebratória diversidade. Assim, este livro reúne dez ensaístas brasileiros em torno da ob ra dos cinco poetas que, há cinquenta anos, mudaram bastante a face da poesia feita em Portugal.
(Luis Maffei)

Convite

Convite


Convite Lançamento dos Livros de Jorge Fernandes da Silveira e Luis Maffei


CANACE 2: Fantasmas do futuro Luxo Noturno, de Roberto Corrêa dos Santos

Comprar no site da Oficina Raquel, clique aqui

Fantasmas do futuro luxo noturno

Autor: Roberto Corrêa dos Santos

Gênero: Ensaio

Capa Brochura

Formato: 21 x 14

Páginas: 140

Preço: R$ 35

ISBN: 978-85-61129-28-6

UMA SINUOSA ESCRITA ENSAIANDO A CRÍTICA DE ARTE

Como um corpo surgindo, composto por vinte e uma peças literárias que expressam uma outra relação com a tradição, Roberto Corrêa dos Santos caminha sinuosamente e em frente, ensaiando poeticamente, ou, como nomeia o próprio autor, “em modo de poema ensaio”, oferecendo-nos uma obra de pesquisa e experimentação da escrita, ampliando-a. “O conjunto faz circularem as forças da linguagem de Roberto”, diz o pesquisador Luiz G. Barbosa no pósfacio da obra, encontrando “na arte o lugar para fazer do livro, e da sua escrita, um trabalho de multiplicação de espaços.”

Sobre o autor

Roberto Corrêa dos Santos nasceu e vive no Rio de Janeiro. É Graduado em Letras, Mestre em Literatura e Doutor em Semiologia, com Pós-Doutorado pelo Núcleo de Estudos da Subjetividade Contemporânea, PUC-SP, Professor Adjunto Efetivo de Estética e de Teoria da Arte do Instituto de Artes da UERJ, Pesquisador do CNPq, Procientista pelo Programa Prociência do Convênio UERJ/FAPERJ. Foi Professor de Teoria e de Semiologia dos Cursos de Graduação e de Pós-Graduação das Instiuições PUC-Rio  e UFRJ e  Pesquisador do CNPq (tendo concluído esse ciclo, nas referidas Instituições,  como Pesquisador 1A). Tem experiência na área de Arte, com ênfase em estudos relacionados aos campos da Semiologia da Arte, da Teoria da Arte, da Filosofia da Arte e da Estética. Exerce atividades de artista no terreno das práticas a envolverem arte e escritura, além de realizar escrituras/instalações corporais e vocais de natureza performáticas. Tem experiência na área de Letras, com destaque em estudos de Teoria da Literatura e de Semiologia. Inaugurou o Projeto Poesia Visual do Oi FUTURO-Ipanema, em Exposição individual, com a obra plástica-de-escriptura ‘Últimas Notas sobre o Grande Vidro’. Sua obra plástica mais recente consiste em seu próprio museu, MUSEU DO MUNDO. Publicou diversos livros relacionados à Teoria da Arte e da Literatura, à Semiologia, à Semiologia da Arte, à Crítica de Arte e de Literatura, somados ao livros de poemas e aos livros de artista. Entre eles, Modos de saber, Modos de adoecer: o corpo, a arte, o estilo, a história, a vida, o exterior. Realizou diversas performances. Foi crítico de Arte da Revista mensal ‘The Voice’. Vem realizando pesquisas sobre Teoria da Arte em seu caráter transdisciplinar e construindo, bem como estudando, livros-de-artista, instalações e toda ordem de ação performática, sempre com interese especial nos intercâmbios expandidos entre arte e escritura. Orientou Teses e Dissertações nos referidos campos de saber, tendo ministrado inúmeras Conferências e Aulas Inaugurais e participado de inúmeras Bancas de Mestrado e de Doutorado. Foi o primeiro Coordenador do primeiro Bacharelado em História da Arte credenciado no país no Instituto de Artes da UERJ.

Informações sobre o lançamento

 

Dia 26 de AGOSTO,  SEXTA-FEIRA
Hora 19
Local MUSEU DO MUNDO [ Visconde de Pirajá 111]